O que é Blockchain?

por Gino Ferreira

06/07/2018 - 4:44 pm

“A consequência prática é que, pela primeira vez, um usuário da Internet poderá transferir uma peça única de propriedade digital para outro usuário, de forma que a transferência será garantidamente segura, todos sabem que a transferência aconteceu, e ninguém pode contestar a legitimidade desta transferência. As consequências desta inovação são difíceis de exagerar.”

– Marc Andreessen

Olhando de longe, a blockchain pode não parecer tão diferente de outras coisas com as quais você está familiarizado, diz a Wikipedia.

Com um blockchain, muitas pessoas podem dar entrada em informações, e uma comunidade de usuários pode controlar como o armazenamento de informação pode ser feito e atualizado. Da mesma forma, os artigos do Wikipedia não são produto de um único autor. Nenhuma pessoa controla sozinha as informações do site.

Observando esta tecnologia mais de perto, contudo, as diferenças que tornam o blockchain único ficam mais claras. Embora ambos se apoiem em redes distribuídas (a internet), a Wikipedia é construída sobre o World Wide Web (WWW), utilizando um modelo de rede usuário-servidor.

Um usuário com permissões associadas com sua conta pode mudar os artigos do Wikipedia armazenados em um servidor centralizado.

Sempre que um usuário acessa a página da Wikipedia, ele receberá a versão atualizada da “cópia mestre” de um artigo. O controle da base de dados permanece com os administradores do Wikipedia, fazendo com que acessos e permissões sejam controlados por uma autoridade centralizada.

Leia mais: O que é Bitcoin?

A espinha dorsal da Wikipedia é semelhante às bases de dados altamente protegidas e centralizadas que os governos, bancos e seguradoras utilizam atualmente. O controle das bases de dados centralizadas reside com seus proprietários, incluindo o gerenciamento de atualizações, acesso e proteção contra ciber-ameaças.

A base de dados distribuída criada pela tecnologia blockchain tem uma espinha digital fundamentalmente diferente. Esta é a ferramenta mais distinta e importante desta tecnologia emergente.

A “cópia mestre” da Wikipedia é editada em um servidor, e todos os usuários visualizam a nova versão. No caso do blockchain, cada nó da rede chega à mesma conclusão, atualizando o registro de forma independente, sendo o registro mais popular promovido ao status de “oficial”.

Transações são transmitidas, e cada nó cria sua versão atualizada dos eventos.

Essa é a diferença que torna o blockchain tão útil – ela representa uma inovação em registro e distribuição de informações, eliminando a necessidade de um terceiro para facilitar as relações digitais.

Porém, vale ressaltar que a tecnologia blockchain não é nova.

Ela é uma combinação de tecnologias que provaram seu valor, aplicadas de uma nova forma. Ela é o conjunto de três tecnologias (internet, criptografia de chave privada e um protocolo de governança), tornando a ideia do criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, tão útil.

O resultado é um sistema para interações digitais, que não precisa depositar confiança em um terceiro. O trabalho de tornar as relações digitais mais seguras é implícito — realizado pela elegante, simples e robusta arquitetura de rede do blockchain.

Leia mais: O que é Ethereum?

Definindo a confiança digital

Confiança é uma relação de risco de julgamento entre partes diferentes e, no mundo digital, determinar a confiança geralmente se resume em comprovar sua identidade (autenticação) e fornecer permissões (autorização).

De forma mais simples, nós queremos saber se você é quem você afirma ser, e se você deveria fazer o que você está tentando fazer.

No caso da tecnologia blockchain, a criptografia de chaves privadas é uma poderosa ferramenta que satisfaz os requerimentos de autenticação. Possuir uma chave privada é ser proprietário. Também torna desnecessário que uma pessoa compartilhe mais informações pessoais do que eles deveriam para uma exchange, deixando-os expostos para hackers.

Autenticação não é o bastante. A autorização – ter dinheiro suficiente, transmitir o tipo correto de transação, etc – precisa de uma rede distribuída e peer-to-peer como ponto de partida. Uma rede distribuída reduz os riscos de corrupção centralizada ou falhas.

Esta rede distribuída também deve estar dedicada à manutenção de dados e segurança da rede de transações. Autorizar transações é o resultado de toda a rede aplicando as regras sobre as quais ela foi desenvolvida (o protocolo do blockchain).

Autenticação e autorização, desta forma, permitem interações no mundo digital sem depender de confiança. Atualmente, empresários de diferentes indústrias do mundo acordaram para as implicações deste tipo de desenvolvimento – inimagináveis, novas e poderosas relações digitais são possíveis. A tecnologia blockchain geralmente é descrita como a espinha dorsal da camada de transações da Internet, a fundação da Internet de Valor.

De fato, a ideia de que as chaves criptografadas e registros distribuídos podem incentivar usuários a assegurar e formalizar relações digitais fez com que as pessoas começassem a imaginar. Todos, desde departamentos do governo até os bancos, estão buscando construir esta camada transacional.

Autenticação e autorização, vitais para transações digitais, são estabelecidas como resultado da configuração da tecnologia blockchain.

A ideia pode ser aplicada em qualquer instância onde seja necessário um sistema confiável de registros.

Fonte: CoinDesk